Atividade física e memória

Atividade física e memória

Exercícios físicos trazem benefícios à saúde em vários aspectos, tais como diminuição dos riscos de problemas cardíacos e melhora no condicionamento físico. Entretanto estudos recentes tem demonstrado também o benefício destas atividades no que diz respeito à memória e outras funções cerebrais.

Por essa razão, os exercícios teriam papel importante na prevenção de problemas cerebrais e alguns trabalhos apontam que pessoas sedentárias apresentam um processamento cognitivo mais lento.

Algumas análises em idosos, por exemplo, descobriram uma alteração positiva no desempenho cognitivo desse grupo. Assim sendo, acredita-se que as atividades físicas possam ajudar a prevenir a demência nas idades mais avançadas da vida.

O tipo e a duração do exercício realizado exercem influência sobre os resultados cognitivos atingidos, existindo indícios de que exercícios que provocam o aumento da capacidade aeróbia são os responsáveis pela melhora das funções cognitivas. Isto acontece porque contribuem para a melhora da circulação e o aumento da oxigenação do cérebro, que são atividades que permitem uma melhor função cerebral.

Diante dos resultados de vários estudos, pode-se concluir que a atividade física regular pode ser considerada uma ferramenta valiosa para minimizar os declínios de memória e qualidade de vida, decorrentes do processo de envelhecimento.