Exercício e sono

Exercício e sono

Muitos estudos pesquisaram a influência da atividade física no sono e concluíram que, até uma certa intensidade, o exercício auxilia na melhora do sono, mas quando em excesso pode piorar a esta qualidade.

Um levantamento a respeito da prática de atividade física na cidade de São Paulo mostrou que as queixas de insônia e de sonolência excessiva, entre os entrevistados que realizam atividade física regularmente, eram de apenas 27,1% e 28,9%, respectivamente, enquanto entre os não praticantes foram de 72,9% e 71,1%, respectivamente.

Atualmente, os exercícios são reconhecidos pela American Sleep Disorders Association como uma medida indicada para a melhora do padrão de sono (sem o uso de medicamentos).

Várias teorias discutem o mecanismo pelo qual funcionaria a influência do exercício no sono. Uma delas diz que o exercício facilitaria o sono por aumentar o gasto energético durante a vigília e isto aumentaria a necessidade de sono, de forma que se possa alcançar um balanço energético positivo e se restabeleça a condição adequada para um novo episódio de vigília.